segunda-feira, 12 de outubro de 2009

O amor poderia estar mais perto do que se imagina...


Maria Flor e Gabriel eram amigos de muitos anos, um sabia tudo sobre a vida do outro como se fosse a sua própria vida. Flor, sempre com um sorriso simpático e um olhar meigo, era delicada e pálida como o luar. Gabriel era tímido, tinha os cabelos escuros como a noite e os olhos verdes como as águas do mar e era capaz de ficar horas, apenas olhando para Flor. Tinham sem duvida alguma, para aqueles que os conheciam, a amizade mais calorosa, e mais bela que já se tinha visto. Gabriel nunca teve ninguém, nenhum romance, nenhuma namorada. Flor já havia se apaixonado inúmeras vezes, porém, nunca ninguém a fez feliz, como ela sonhara um dia ser. Estava namorando, seu namorado se chamava Claudio. Era um rapaz elegante, muito bonito, porem lhe faltava algo, era extremamente sério, faltava-lhe a alegria e a simplicidade.

Gabriel um dia, enquanto andava pela praça, sentindo a brisa do outono, avistou Flor entra as roseiras, em lagrimas, e dor. Correu até ela, e perguntou-lhe o que havia acontecido, porque chorava com tanta dor. E ela, olhou no fundo daqueles olhos verdes e respondeu-lhe:

- Sempre sonhei com uma história singela de amor, mais nunca tive um final feliz com alguém. Procurei-me nos olhos de Claudio e não me encontrei, descobri então que não o amava e nem ele à mim. Eu só queria ser especial para alguém e ter alguém para poder dizer à ele, o quanto é especial para mim.

Gabriel olhou em seus olhos, segurou em suas mãos e disse-lhe:

-Não chores e não tema, não desista de encontrar o amor verdadeiro, ele pode estar mais perto do que se imagina, e ele nunca a abandonara. Sempre estarei com você !

Gabriel abriu seus braços e aconchegou Flor em seu peito, nesse momento caiu uma lágrima de seus olhos, molhando os cabelos de Flor. Flor se sentiu completamente em paz, se despediu de seu amigo e foi para casa.

No dia seguinte, foi até a casa de Gabriel para agradecer-lhe mais uma vez, mais não encontrou ninguém. A casa estava silenciosa e vazia. Correu de volta até sua casa, foi até a cozinha e encontrou sua mãe sentada a mesa com um envelope nas mãos com seu nome. Sua mãe lhe entregou a carta, beijou sua testa e foi para o quarto. Flor sentou-se, abriu a carta e começou a ler. A carta dizia:

- Maria Flor, vivi com você as melhores coisas da minha vida. As melhores aventuras, e as melhores histórias. Todos os milésimos de segundos que passei ao seu lado estão guardados em meu coração. Precisava dizer uma coisa muito importante à você ontem, mais não consegui, faltou-me coragem. Lembra quando te disse naquela praça, que o amor poderia estar mais perto do que se imagina? Então... ele estava segurando em tuas mão naquele momento. E como eu disse, ele nunca te abandonara. Te amei em todas as coisas, em todos os momentos e em todas as brincadeiras. Tenho guardado em minha memória todos os perfumes que usou, o jeito que mexia no cabelo, as covinhas no teu rosto, e o jeito como seus olhos ficavam pequenos quando sorria. Estive ao teu lado em todos os momentos da sua vida, e sempre estarei. Eu te amo como nunca, te amo como ninguém, e sempre te amarei. Mais sinto em dizer-te que tive que partir com minha família pela manha, e que ficarei longe por algum tempo. Mais não deixe de acreditar no amor, não deixe de acreditar no meu amor por você. Espera-me, e eu voltarei. Trarei comigo o amor que tanto esperou. Mandarei mais noticias em breve...Com todo o amor que um homem pode ter por uma mulher...
Gabriel ♥

Flor ficou mais pálida do que de costume, estremeceu. Não pode conter as lágrimas ao perceber que nunca conseguiu ser feliz porque nunca havia enxergado o amor, nunca percebeu que quem ela mais amava, a pessoa mais importante da sua vida, estava sempre ao seu lado, nas horas tristes e nas horas alegres. Tomou a decisão mais importante de sua vida... Decidiu esperar...esperar o tempo que fosse...e realmente...ela esperou !

Nos enganamos muitas vezes à procura do amor, e as vezes até pensamos em desistir. E na maioria delas, olhamos além das montanhas, sem antes olhar ao nosso redor, e para dentro do nosso coração. Não importa o quanto tenha sofrido em busca do amor, nunca desista de encontrá-lo, pois se não fossem os enganos, como saberíamos quando realmente é de verdade?

P.S.: Amei esse texto que foi escrito pela minha prima querida Érica Moreira.

Um comentário: